by    0   0

Realizado na UFPE, evento contou com participação de especialistas de comunicação, engenharia e computação

No último dia 25 de outubro, o Globo Universidade e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) promoveram o seminário Desafios da Integração da TV Conectada no Ambiente da TV Digital Brasileira. O evento contou com espectadores de diversas universidades da região nordeste, como a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), e o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), por exemplo. Além disso, também estavam presentes profissionais do mercado de comunicação e de tecnologia e colegas de TVs públicas, como a TV universitária de Pernambuco e a TV Pernambuco.

Sob o tema “TV Conectada e conteúdo não-linear: a TV híbrida e o papel das emissoras”, a primeira sessão teve como coordenadora Yvana Fechine, professora do Departamento de Comunicação (DCOM) e do Programa em pós-graduação em Comunicação (PPGCOM) da UFPE, e, como palestrante, Carlos Brito, diretor de Planejamento da Direção Geral de Engenharia da Rede Globo. Neste momento inicial, foi explorada a tendência estratégica de se trabalhar a segunda tela, ou seja, os dispositivos móveis utilizados concomitantemente ao uso da TV. A mesa discutiu, ainda, a produção de aplicativos com conteúdos complementares aos da televisão, assim como a possibilidade de sincronismo entre esses elementos e os programas de TV ou as publicidades nela veiculadas. Este último caso refere-se à chamada TV Híbrida (em desenvolvimento), que poderá permitir não apenas o acesso à internet através do aparelho de TV – como já acontece com as Smart TVs –, mas também a correlação entre os conteúdos da rede e das emissoras de televisão.

No primeiro debate, participaram como debatedores Paulo Cunha, diretor de Comunicação da SeGIC – Secretaria de Comunicação e Informação da UFPE, e Salustiano Fagundes, CEO da HXD Interactive Television, empresa brasileira que trabalha com foco no desenvolvimento de aplicativos para multiplataformas televisivas. Junto a Carlos Brito e Yvana Fechine, a discussão girou em torno dos possíveis modelos de negócio para as novas plataformas de comunicação; de como seria explorada a interatividade nesses meios e da curiosidade sobre como a Rede Globo está se preparando para trabalhar a questão das métricas da audiência dos conteúdos sincronizados entre TV e aplicativos, uma tendência do que pode vir a ser a TV Híbrida.

Na segunda sessão, o tema abordado foi “TV Conectada e interatividade: ameaça ou oportunidade?”. Coordenada por José Afonso da Silva Junior, jornalista e professor do Departamento de Comunicação (DCOM) e do Programa em pós-graduação em Comunicação (PPGCOM) da UFPE, a mesa teve como palestrante o CEO Salustiano Fagundes. Sua abordagem foi histórica e apresentou as várias formas de interatividade na TV, levando em consideração desde o modelo mais tradicional, em que os aplicativos são enviados pela própria emissora, até ao que hoje está sendo mais utilizado dentro do conceito das Smart TVs, que são desenvolvidas com intuito de acessar a internet, sem que seus aplicativos tenham, necessariamente, um conteúdo atrelado ao da televisão.

Em seguida, o debate final contou com Carlos Brito, da Rede Globo, e Carlos Ferraz, professor da UFPE, vinculado ao Programa de Pós-graduação em Ciência da Computação, como debatedores. Ao lado deles, o coordenador da mesa José Afonso e o palestrante Salustiano Fagundes, junto com a plateia, deram continuidade ao debate anterior, referente aos conteúdos que devem estar contidos nos aplicativos; desta vez, levando em consideração o que poderia ser de maior interesse para o telespectador.

Fonte: http://redeglobo.globo.com/globouniversidade/noticia/2012/10/seminario-discute-novos-modelos-de-comunicacao-e-interatividade-da-tv.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *